Apresentação

Dados da edição:

Mafuá, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, n. 25, 2016. ISSNe: 1806-2555.

A edição 25 da Mafuá traz ao público, além das seções já habituais nas últimas edições da revista, Ensaios, Obra Rara, Criações e Metafrasis, a seção Entrevistas.

Nesta seção, em “Guiomar de Grammont e as palavras que se cruzam”, o leitor poderá conferir uma entrevista que Tiago Ribeiro, doutor em Literaturas e membro do corpo editoral da Mafuá, fez com Guiomar de Grammont Machado de Araújo Souza, historiadora, escritora e professora de Filosofia na Universidade Federal de Ouro Preto, que lançou há pouco o romance Palavras cruzadas. Dentre os assuntos abordados pela entrevista, estão: o lugar da Literatura Brasileira em relação ao conjunto da Literatura mundial; a relação do leitor e do escritor com o mundo e com o mercado editorial; temas políticos abordados pela autora em seus livros e a publicação da sua tese de doutorado sobre Aleijadinho, que teve a orientação do pesquisador João Adolfo Hansen, especialista em Barroco.

A seção ensaio está composta de oito trabalhos que contemplam a obra de autores das mais diversas Literaturas. “A infância em Caio Fernando Abreu: uma análise espacial dos contos Oásis e Recuerdos de Ypacaray”, de Bárbara C. M. Minto; “À margem da margem”, de Ornella E. Dapuzzo, sobre as personagens femininas de Capão Pecado, livro de Ferréz, expoente da Literatura Marginal de Periferia; “O índio como aliado circunstancial em A retirada de Laguna”, uma análise da imagem do indígena no romance de Alfredo d’Escragnolle Taunay, por Jildonei Lazzaretti e “A teoria da informação e a criação literária de Décio Pignatari”, de Henrique Julio Vieira, estudam produções de autores brasileiros. “A questão da autonomia no romance hipertextual 253”, de Alice G. Silveira, estudo da obra do canadense Geoff Rayman 253 or tube theatre, criação que conta a história de uma viagem no metrô de Londres apresentando 253 personagens; “Neologismos, expressividade e identidade cultural: o processo de criação de palavras em A varanda do Frangipani, de Mia Coutor”, de Leandro V. Carneiro; “Reflexões sobre temas comuns nos contos Svevianos Il malocchio, Lo specifico del dottor Menghi e La madre”, de William D. B. Xavier e “Profanação d’O isqueiro, conto de Hans Christian Andersen”, de Gabriel Esteves, estudam a produções de autores do Canadá, Moçambique, Itália e Dinamarca.

Na seção Obra Rara, o leitor poderá acessar um livro de poesia de 1908, Paros, do escritor mineiro Plínio Motta (1876-1953), e saber um pouco mais sobre os embates entre jornalistas, críticos literários e escritores no início do século XX.

Criações apresenta e divulga um dos mais novos meios que a Literatura encontrou para se renovar: os canais literários, séries de vídeos publicadas online, no site Youtube, criadas e mantidas (geralmente) por jovens, conhecidos mundialmente como booktubers. Após breve texto introdutório, a seção traz uma lista de páginas de vídeo recomendadas.

Por fim, na seção Metrafrasis, o tradutor, escritor, e doutorando Luíz Horácio apresenta e seleciona trechos da sua tradução, em andamento, de Madame Bovary, de Gustave Flaubert.

Sei de poucas coisas sei que ler
é uma coreografia
(Ana Martins Marques)

Desejamos uma boa dança a todos!