Apresentação

Caroline Guglielmi

Dados da edição:

Mafuá, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, n. 27, 2017. ISSNe: 1806-2555.

Como citar este artigo?

Eis que chega a edição número 27 da Mafuá, revista de literatura em meio digital destinada às produções de estudantes de graduação. Nesta edição, em obra rara, somos presenteados com Critíca de ontem (1919), cujo autor paranaense Nestor Victor de Souza reúne textos críticos escritos durante a Primeira Guerra Mundial.

Na seção ensaios, trazemos sete trabalhos, sendo eles: “O tempo mitopoético em “Pedra de Sol”, de Octavio Paz”, de Tiago Eric de Abreu; “A representação da mulher escravizada na literatura brasileira: uma leitura comparativa entre Úrsula e A escrava Isaura“, de José Lucas Góes Benevides; “Breve análise composicional d’O Trovador, de Gonçalves Dias”, de Gabriel Esteves; “The need of a space of one’s own in The house of Mango Street“, da coautoria entre Felipe Ezekiel Santos e Nathalie de Souza Kappke; “As garotas de branco em Whistler e Adriana Lisboa: sinfonias em branco que dialogam”, de Ana Maria Soares Zukoski; “Configuração da mulher leitura em “Eu era muda e só”, de Lygia Fagundes Telles”, de Rebecca Demicheli Sampaio; e “A estratégia dialética de uma flor: uma análise da revista A Violeta (1916-1950) como instrumento de revolução cultural em Mato Grosso”, de Jildonei Lazzaretti.

Em criações, temos Carta pra Maricota, uma releitura de Carta pras Icamiabas, capítulo IX da obra Macunaíma, de Mário de Andrade. Nela, as autoras Isabel Aparecida Mafessolli e Juliana Ferreira dão uma nova voz ao texto adotando o dialeto utilizado em Florianópolis, Santa Catarina. Nesta seção, contamos, também, com a melancolia de Graci Rocha na narrativa Os tapetes dela.

 Na seção resenhas, há a leitura de Jéssica Domingues Angeli da obra Tempo de espalhar pedras, de Estevão Azevedo. Já o conto A pair of silk stockings, conto de Kate Chopin, aparece em traduções como Uma meia de seda, tradução de Henrique Vieira Tozzi