Carta pra Maricota

Isabel Aparecida Mafessolli, Juliana Ferreira

Dados da edição:

Mafuá, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, n. 27, 2017. ISSNe: 1806-2555.

Como citar este artigo?

Sobre os autor(es):

Isabel Aparecida Mafessolli
mafessollisabel@gmail.com
http://lattes.cnpq.br/3857693612442941
Universidade Federal de Santa Catarina
Departamento de Língua e Literaturas Vernáculas
Florianópolis – Santa Catarina, Brasil

Juliana Ferreira
julianasf98@gmail.com
http://lattes.cnpq.br/9756457252949642
Universidade Federal de Santa Catarina
Departamento de Língua e Literaturas Vernáculas
Florianópolis – Santa Catarina, Brasil

Releitura de Carta pras Icamiabas, capítulo IX do livro Macunaíma, de Mário de Andrade.

 


 

Ao leitor…

Ô, querido! Antix di tu lê a carta qui foi excrita pelu seu Maneca i destinada pra Maricota é importanti você sabe qui muitas das ixpressões utilizada são própria daqui da Ilha i qui foi optado utilizá uma grafia qui si aproximassi du modu comu o nossu povu, manezinhu, fala. Pur causa disso, você vai incontrá um vocabuláriu di ixpressão no final da carta e vai incontrá muita coisa qui os aletrado julgam comu erru ortográfico. Max não si preocupi com isso! Apenas aproveiti ax novidadi qui o Seu Maneca vai conta.

Boa leitura!
30/05/1906

 


 

A max biju do mundo,  Maricota.
Trinta de Maio de Mil Novecentos e Seis,
São Paulo.

Quirida:

Antis di ti conta as novidadi, tenhu qui ti conta um fuxico qui talvex ti deixi azêda… Entri os aletrado e os banzo não ex famosa por Maricota: aqui ti chamam di Maria.  Max sabex, nega, talvex não seje tão mali assim, cá di quê Maria é o nomi da mãe de nossu senhôri, Jesus. Como ela era uma muié boa, podix fica maix facera, né? Max não vamu perder tempo cum essis fuxico, não: passamu a fala dos acontecido daqui. Tem cada babadu, quirida, vás ficá de quexo caído, entendesse?

Mali tinhamus começado a viagi, quando a genti si meteu na maior enqreguilha: Perdemus a muiraquitã qui tu tinha dado pra nox e qui, si bem mi lembro, era presenti di uma índia que um dia veio a nossa Ilha passea. Aí ficamo tudo amarelado, né?

Só qui a noite, enquanto dormíamos, por sinal muito infezadus por perdê o teu tão precioso bem, em sonho veio uma benzedeira e mostrou pra genti qui a muiraquitã tinha ido pará em São Paulo, nas mãos do dôtor Venceslau Pietro Pietra, súdito do vice-reinado do Peru, e di nascença florentina.

Aí em dox toqui corremu pra cá e com o caminhar das coisas, ti digo: logo, logo receberás a notícia qui o talismã é nosso novamente, cá di quê nossa relação com Vencix – apelido só prus intimux, no caso, nox – vai di bom a melhor. Por essa noticia, já pediremos a ti, biju, mais carvão. Cá di quê já tamu ficando argolado.

As rapariga de cá não se contentam cum tainha e vinhu para brinca, querem lagostas, champagne e muito carvão. Podis imaginá o tanto qui já gastamux pra brinca com essas muié da vida que num se contentu com o que temus pra dá! Pur isso, precisamox de maix money. Ô, quirida! Não istranha essa palavra, tá? Money significa carvão, max é qui aprendi aqui com os aletrado e achei chiqui. As rapariga com certeza vão gosta, cá di que, são figurinha.

Falando nisso, por serem figurinha, elas não aceitam aquilo qui foi dado por Deus e insinado pelo povo da terra. Pur isso, procuram nas rapariga-mextre caída nax tabela da Oropa, sobretudo da França, costumis bem diferenti. Acreditax qui aqui o dia começa quandu já tax a tempu cum ropa-di-briga e a noite quandu tax no quinto sono?

Max tá! Acreditu que devex ta pensando o qui essas rapariga figurinha tem qui encanta a gente, se si comportam desse jeito feio… Ó-lhó-lhó… Si tu visse… Elas andam com muitas jóias e panos finíssimos qui mal tampam ax parti delas. São tão fartas… Ah, como é bom batê us crocu com essas raparigas. São tantas formas diferentis, a módi que ficamos haéreos. Só pensamu nelas… Muito embora não nos descuidemos da nossa muiraquitã, biju. Não si preocupi.

Comu podix vê, quirida, já tamu quase avezado aqui em São Paulo. Elis são tão modernox. Temu aproveitado essi tempo na ilustre terra bandeirante pra aprendê os principaix costumi dessa genti e pra vê como qui aqui elex fazem as casa, entendesse? Pur isso, também precisamos de max carvão, poix tanto já andamo aprendendo, é claro, qui estamu mal-di-bica.

Max mudando di assunto… Eu to cum coxquinha na língua mexmo é pra ti conta uma coisa que vimos aqui, cá di quê queremox fazê igualzinho aí na nossa ilha. Aqui em São Paulo tem umax construção qui dá gosto di vê. Não são igual essas qui temu aí na Ilha. Aqui tem uma ponti linda, maix linda memo, biju. As rua tudo tem asfaltu (qui pelu o qui vimos são um monti de pedra em cima do chão), tudo aqui também é muito iluminado. Os pescadô iam amá essas luz, cá de quê ia ajuda muito na hora de puxá as tainha.

Ó-lhó-lhó, nega! A cidadi é linda di se vê. Aí né, tava aqui pensandu com meus butõex que si fizermus lá na Ilha essas construção, essa ponti, colocarmus essas luz e colocarmus essas pedra nas rua, teremos vantagi cum povo na hora de ganhá as tainha, entendesse?

Além do max, aqui por essas bandax tem umax branquela das Oropa a migueli i qui dominam, fazendo até us homi obedecê qui nem impregadu, usando ropa-di-briga i tudo. Si tu visse nega, é uma diversidade de muié que olha. Umax tem u cabelu preto igualzinho a ropa das bruxas-chefes, otras são loirinhas igual oro, umax tem corpu com max fartura, otras são magrinha igual pé de galinha. Max sabi quirida, todax são muito bem educada e com uma baita inteligência, ca di que sabem muitas língua e já passearam em vários países. Exemplus de muié.

Aí né, queria qui essax branquela da Oropa fosse para a nossa Ilha pra insiná pra genti como si vévi na modernidadi pra aumentá o meu carvão, cá di quê as muié daí seriam mági ricas.

Max como nem tudo é perfeito, sabi quirida, temus qui ficá de olho nessas branquelas lá na Ilha, cá di quê elas são livres, fogosas e sabem comu deixá um homi háereo. Ah, como sabi… Aí né, tem que cuidá pro nosso povo não querê copia esse jeito facero das branquela, cá de quê é mali pra nossa moral. Eu não quero fia minha seduzindo os hómi por aí. Muito menus que minha muié fiqui si achandu toda livri.

Aqui em São Paulo também tem ax polícia. As função delis é até paricida com as função dus policial da Ilha. Elis mantê ax cosa tudu em ordi. São elix qui controlam o carvão du povu a módi não ficá desvalorizado, além di qui também mantém essa genti tudo em segurança. Por issu qui essa cidadi cresce tantu, cá di quê são os polícia qui cuidam di tudu.

Aqui era pra sê só ordem i progresso! O problema, Maricota, é qui aqui tem muita doença. Pur isso, a população vévi doentinha, doentinha. Tem também umax formiga qui são umax pexti pras plantação. Acabu cum tudo! Tem vex qui não sobra nadinha. Sabi, quirida, pareci qui essax formiga são chamada de saúva. Aí né, pur causa disso tudo, a população daqui e até os visitante falu qui:

“Poca saúdi e muita saúva, os mali du Brasil são”.

Max, mudando di assunto, tu nem vai acreditá no qui eu soube. Como us povo di cá moram nuns prédio grandi, no verão enchi di pernilongo. Aí us bucho di pescada di cá falam qui us bicho mordem tão forte e tantas vex ax parti do pessoal qui elis nem precisam bater uma bronha, o pernilongo faz todo o dibaxo de quebra.

O estranhu nisso tudo é qui pareci qui os bicho fazem milagre nas bandax de cá. Os fuxiqueiro falam qui nos bairro pobri, anualmenti, surgi um monti de “italianinho” (nomi qui os paulista tão prá essa gente) pur causa dus pernilongo. Só podi se coisa de bruxa, né nega? Fiquei sabendu também qui são esses italianinhu qui são os responsável pur cuidar das construção da cidadi.

Ah, minina! Quasi qui mi esqueçu. A sorti foi qui falamu em construção. Olha só, tu ia ficá abobada cum o Palácio do Governo daqui. Ele é inteirinho de oro. Coisa maix linda qui já vi. Devi sê pur isso qui o presidente tem tantas esposas… Cum tanto oro, né?

Além dissu, o povo daqui é tão inteligenti. Os aletrado tem uma intelectualidadi di dá inveja na gente. Elis consegui falá di um jeito i iscrevi di otro. Si tu visse… Conversandu, elis são simples qui só vendu, max escrevendu… Pareci otra língua. É uma iscrita toda complicada. Prá falá qui uma coisa é uma coisa, otra coisa é otra coisa, elis fazi tanto rodeio cum a linguagi qui fica até difícil intende, entendesse? Se num bastasse essas duas línguas, elis ainda sabi algumax línguas du estrangeiro. Fico de boca aberta cum tamanho conhecimento.

Otra diferença aí da Ilha é qui aqui, Maricota, existi uns homi poderoso qui o povo chama di politicu. Elis são tipo os curandeiro, pelu o qui eu entendi. São audaciosos, honestus… E igualzinho as bruxa qui tem qui obedece o anjo Lúcifer, esses politicu devi obedece a um chefe qui mora no Rio de Janeiro. Pareci qui elis pouco tem di humano.

Max, us acontecidu qui eu tinha qui ti conta eram esses, Maricota. Como já ti disse, aqui tudo é muito incandatô, muito bonitu… As rapariga, então! Max num posso fica discançado i aproveitá inquantu não achá o talismã. Não mi esqueci dele, não! I como já ti falei, nossax relaçõex cum o Vencix extão ótima, então tu já podi mandá o carvão qui ti pedi. Sabix qui mi contentu cum poco. Queru só o suficienti pra num tê qui trabalhá, cá di quê, sabix né, preciso di tempo pra aprendê as coisas daqui.

Esperu qui fiquex contenti cum o qui ti contei, e não esqueci de mi mandá os carvão, cá di quê to cada dia maix duro. Não esqueci também di pensa em convidá as polonesa pra aumentá o tanto de money (mi sinto um aletrado usando essa palavra).

Até max, quiridi irmã,
Seu Maneca.

 


 

Vocabuláriu di ixpressão da Ilha

Ixpressão da Ilha Modu excritu na carta Significadu
A módi A módi De modo
Abobado Abobada Bobo
Aletrado Aletrado Pessoa com estudo
Amarelado Amarelado Medroso
Argolado Argolado Sem dinheiro
As parte Ax parti Órgão genital
Avezado Avezado Acostumado
Azêda Azêda Mal-humorado
Babado Babadu Fofoca
Baita Baita Bastante
Bandas Bandax Lugar onde nasceu ou vive
Banzo Banzo Pessoa tonta
Bater os croco Batê us crocu Ter relações sexuais
Biju Biju Moça bonita
Boca aberta Boca aberta Pessoa de raciocínio lento
Bucho de pescada Bucho di pescada Pessoa fofoqueira
Cá de que c que Porque
Caída nas tabela Caída nax tabela Mulher velha
Carvão Carvão Dinheiro
Cosquinha na língua Coxquinha na língua Vontade de contar algo
Em dois toques Em dox toqui Rápido
Enqreguilha Enqreguilha Encrenca
Faceira Facera Vistosa/Contente
Fartas Fartas Abundante
Ficar de olho Ficá de olho Prestar atenção
Figurinha Figurinha Pessoa metida a importante
Fuxico Fuxico Fofoca
Enfezado Infezadus Bravo
 Mági Mági Mas ou mais
 Mal-di-bicata Mal-di-bitaca Sem dinheiro
 Mali Mali Mau ou mal
 Meus botões Meux botõex Comigo
 Migueli Migueli Muito
 Muié Muié Mulher
 Ó-lhó-lhó Ó-lhó-lhó Forma de expressão
 Oropa Oropa Europa
 Queixo caído Quexo caído Boquiaberto
 Rapariga Rapariga Prostituta
 Rapariga-mestre Rapariga-mextre Cafetina
Roupa de briga Ropa-di-briga Uniforme
Senhori Senhori Senhor
Uma coisa é uma coisa outra coisa é outra coisa Uma coisa é uma coisa, otra coisa é otra coisa Forma de expressão
Véve Vévi Vive

Referências

DESCONHECIDO. De olho na Ilha. 2012. Disponível em: <http://www.deolhonailha.com.br/turismo/atrativos/dialeto-do-manezinho-da-ilha.html> Acesso em 24 out 2016.

DESCONHECIDO. Dicionário da Ilha. 2009. Disponível em: <http://dicionariodailha.blogspot.com.br/search?updated-max=2009-08-28T06:25:00-07:00&max-results=35> Acesso em 24 out 2016.

SILVA, Junior da. Amigo de Viagem: Descobrindo Santa Catarina. 2013. Disponível em: <http://amigodeviagem.com.br/20-girias-e-expressoes-de-floripa/> Acesso em 24 out 2016.

DESCONHECIDO. Manezinho da Ilha. 2016. Disponível em: <http://www.manezinhodailha.com.br/Expressoes.htm> Acesso em 24 out 2016.

ANDRADE, Mário de. Macunaíma: O herói sem nenhum caráter. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2013. 240 p. (Obras Completas de Mário de Andrade).