Apresentação



 
Prezado leitor.
 
 
Chegamos à 15ª. edição da revista Mafuá, continuando o trabalho de oferecer aos alunos dos cursos de graduação em Letras um espaço para a publicação de sua produção intelectual a fim de estimular a atividade da escrita como parte do processo de desenvolvimento da autonomia de reflexão necessária à formação de professores e pesquisadores.
 
Neste número, na seção criação, apresentamos o vídeo-poema Clarão, do Prof. Dr. Chico Marinho, do Departamento de Fotografia, Teatro e Cinema da Escola de Belas Artes da UFMG.
 
Na seção Metafrasis temos a tradução da profa. Alice Leal para o conto “The Spaces in Houses”, da contista, poeta, romancista e atriz inglesa Vivienne Vermes.
 
Em Obra rara, temos o livro de poesias Cromos, cuja primeira edição data de 1881, de Bernardino da Costa Lopes ou simplesmente B. Lopes.
 
Quanto aos artigos, temos neste número o texto de Tassia Kleine (UFPR) que relaciona a trajetória da mulher e dos ambientes íntimos à história da cidade, a partir da personagem Emilie de Relato de um certo Oriente, de Milton Hatoum.
 
Tânia Kuhnen (UFSC), busca em seu artigo “ler o filosófico dentro do literário”, na obra de Machado de Assis, a partir de Schopenhauer e a Nietzsche. Ainda sobre a obra de Machado, Jocilei dos Santos Cabral busca discutir Dom Casmurro “a partir de um olhar crítico sobre a narrativa do protagonista”, focando nos aspectos que transitam entre a consciência e a imaginação do narrador/protagonista.
 
Meiry Peruchi Mezari, da UFSC, a partir do conceito de intertextualidade, se debruça sobre a possibilidade do uso de best-sellers a fim de despertar o interesse do leitor pelos clássicos. Rafael Souza Barbosa (UFRGS) aborda Camões, um dos grandes autores clássicos lusófonos, em relação com a escrita francófona de Ferdinand Denis.
 
Larissa Andriolli (UFJF) trata o erotismo como recurso poético (e político) na contemporaneidade, partindo de textos de Carlos Drummond de Andrade e de Pietro Aretino, para então abordar a poesia contemporânea de Oswaldo Martins e Manuela Amaral. E Leandro Kerr Gimenez (FURG) analisa a produção literária no extremo sul brasileiro devido à repercussão da visita do ator João Caetano dos Santos, em agosto de 1854.
 
Abrimos a edição com a capa do arquiteto e ilustrador Diego Fagundes.
 
Boa leitura.